Unidade 2 - Pedro, o Pescador de Gente (Historia)


Unidade 2 - Pedro, o Pescador de Gente
Antes de começar a sua missão aqui neste mundo, Jesus escolheu homens para serem
seus discípulos. Sabem crianças, antes de seguirem a Jesus, estes homens tinham seus trabalhos
e viviam suas vidas com suas famílias. Pedro foi um dos escolhidos por Jesus. Ele e o seu irmão
André tinham uma empresa de pesca. Pedro era um ótimo pescador.
Aconteceu que certo dia Pedro e o irmão estavam pescando quando Jesus passou próximo
a eles e disse: “Venham comigo, que eu ensinarei vocês a pescar gente.” Sabem o que eles
fizeram? (espere a participação) Deixaram tudo para trás e seguiram a Jesus.
Pedro deve ter achado estranha a ideia de pescar homens. Vocês já viram alguém pescar
pessoas? (espere a participação) Quando Jesus falou em pescar gente, Ele estava falando em
ganhar almas para o Reino de Deus. Pedro e o irmão aceitaram aquele convite, deixaram tudo
para traz, e tornaram-se discípulos. Muitas pessoas foram abençoadas e salvas através deles.
Certo homem que havia nascido aleijado costumava ficar na porta do Templo pedindo
esmolas para as pessoas que passavam por ali. Diz a Bíblia que um dia Pedro e João foram orar
e viram o homem sentado na entrada do templo. Ele estendeu a mão para pedir dinheiro aos
discípulos. Pedro pediu que o homem olhasse para ele. Certamente, o aleijado pensou que
ganharia algo, pois não podia imaginar o que aconteceria em sua vida naquele momento.
Então, Pedro disse: “Não tenho nenhum dinheiro, mas o que tenho eu lhe dou: pelo poder
do Nome de Jesus Cristo, de Nazaré, levante-se e ande”. Amiguinhos, muito forte! Depois de
ter dito aquelas palavras, Pedro estendeu as mãos ao aleijado, que logo se levantou. Ele passou
a andar e entrou no templo pulando, dando saltos de alegria, agradecendo a Deus por aquele
grande milagre. As pessoas que estavam naquele lugar olhavam e perguntavam umas para as
outras: “É este o mendigo, o aleijado, que pedia dinheiro na porta do templo?”
Encontre os Visuais:

2 comentários:

dalva disse...

Muito bacana a historinha assim parece mais uma conversa com as crianças, muito legal

Anônimo disse...

muito bom amei.