Juízes na vida

O Juiz que não responde...
Para encerrar esta semana e antes de falar da próxima historia...
Querida Educadora reflita para sua vida quantos juízes você tem enfrentado...
....
.........
E tão certo como aquele juiz respondeu aquela mulher...
persevere que Deus te responderá!

Unidade 4 - Orar Sempre (Vídeo)



Eis o desenho animado para servir como mais uma ferramenta
Educadoras estes videos tem por objetivo auxilia-las durante as pregações,
mas não substitui as orientações, ou mesmo os recursos visuais para contar a historia.
E além deste vídeo encontre mais... 


Misturinha de Recursos

 Olha aí ... as ideias são muitas...
Cenário bem elaborados e os personagens da Historia foram retirados 
da Revista do Educador... muito bom, E observe, 
acima foi recortado pintado e colado em cartucho de pão.
Já nesta abaixo foi feito em isopor.
Que lindo!
 E não somente assim... aqui abaixo olha aí... Em papel a casinha,
e os personagens com potinhos, com uso de tecido...
Mesclando materiais sempre tem jeito de ensinar!
 E a Lembrancinha...
Ah! que legal, foi usada a sugestão da Revista do Educador e um
pouco de Criatividade!
ual!

EBI em ISRAEL - 2013

Foi em 24 de maio/2013 um programa onde a parte da Equipe que esteve na Peregrinação em Israel puderam contar um pouquinho do que foi e do que vem por aí por causa desta alegria!
EBI em ISRAEL!

E para ver fotos da Caravana à Terra Santa
Veja os links:

Peregrinação da EBI à Terra Santa Parte 1

Peregrinação da EBI à Terra Santa Parte 2

Peregrinação da EBI à Terra Santa Parte 3

Peregrinação da EBI à Terra Santa Parte 4

Peregrinação da EBI à Terra Santa Parte 5

Peregrinação da EBI à Terra Santa Parte 6

Peregrinação da EBI à Terra Santa Parte 7

Peregrinação da EBI à terra Santa Parte 8

Peregrinação da EBI à Terra Santa Parte 9

Matéria da EBI na Folha Universal


Saiu na Folha Universal em 26 de Maio/2013 
E claro não pudíamos deixar de registrar aqui...
A banalização de comportamentos eróticos na mídia tem estimulado crianças a substituir a infância por imitações da vida adulta. A qualquer hora do dia ou da noite, é possível encontrar na televisão moças com roupas curtas rebolando ao som de músicas que remetem ao ato sexual. Em filmes, seriados e novelas, personagens escandalosas, cenas de sexo, vocabulário chulo, violência e a vulgarização da mulher dominam. Tudo isso é acompanhado por pais e filhos como algo natural. Na internet, os exageros se repetem.
Um dos casos mais recentes envolvendo erotização de menores está sendo investigado pelo Ministério Público de Niterói, no Rio de Janeiro. Há denúncias de que as coreografias do grupo Bonde das Maravilhas – com integrantes entre 13 e 20 anos de idade – tenham apelo sexual. Um dos vídeos do Bonde já foi acessado mais de 26 milhões de vezes na web. Em defesa do grupo, seu empresário afirmou ao portal UOL que as músicas não são eróticas e fez uma revelação preocupante para os pais: o Bonde deve lançar músicas para o público infantil.
Enquanto isso, programas de auditório exploram a imagem de crianças que mais parecem adultos em miniatura. Em lojas de roupas, muitos trajes infantis são cópias idênticas de peças típicas do vestuário das chamadas “periguetes”, sempre muito curtas e justas. Indústrias de cosméticos investem em maquiagem para meninas e uma infinidade de produtos de beleza infantis ocupa prateleiras de supermercados e farmácias em recipientes coloridos e chamativos. Como se não bastasse essa lição de “faça como eu faço”, uma empresa de bebidas alcoólicas chegou ao absurdo de criar um “espumante” sem álcool com garrafas semelhantes às da bebida para adultos. A diferença é que a embalagem do refresco infantil trazia personagens de desenhos animados.
Diante desse cenário, como evitar a erotização precoce das crianças e a invasão do mundo infantil por coisas típicas de gente grande? Segundo a coordenadora da EBI (Educação Bíblica Infantojuvenil) São Paulo, Jane Garcia, os pais devem ser responsáveis por traçar os limites para os filhos. “Não dá para fugir. Desde que o mundo é mundo há o lado obscuro. O problema é que hoje essas influências negativas estão mais acessíveis para as crianças. Os pais devem investir na educação, colocar limites e regras por meio do diálogo e do próprio exemplo”, explica a coordenadora, que ainda atua no Pré-Sisterhood, trabalho da Universal aberto para meninas de 6 a 14 anos.
Jane destaca a importância de se resgatar os valores perdidos durante as transformações da sociedade. De acordo com a especialista em educação, essa é uma das grandes preocupações das reuniões no Pré-Sisterhood. “A essência é fazer com que as meninas se sintam bem com elas mesmas e que elas se transformem em pessoas melhores. Resgatamos coisas que a sociedade tem deixado de lado, a essência do que é ser mulher, a feminilidade”, explica. Jane argumenta que a criança precisa ter responsabilidades, como fazer os deveres escolares, organizar os brinquedos e ajudar os pais nas tarefas da casa.
Dar limites não é tarefa fácil, mas a criança é capaz de fazer opções corretas quando bem orientada. “Os pais devem explicar o que é certo e o que é errado, lembrar que há o livre-arbítrio e que as escolhas erradas podem ter consequências futuras”, avalia. Ela ensina que, quando uma criança pedir para usar uma roupa muito curta e chamativa, o adulto deve explicar que aquela vestimenta não é boa, porque pode atrair a atenção de pessoas maldosas. Já os comportamentos inadequados como gritos, palavrões e desobediência devem ser explicados como uma forma de desagradar os pais e a Deus e, portanto, não são boas atitudes.
A tecnologia também rouba espaço de ursinhos de pelúcia, bonecas e carrinhos. Crianças que mal sabem falar já conseguem se virar muito bem com computadores, celulares e internet, tudo com a aprovação entusiasmada de pais e mães que ignoram os riscos envolvidos. Alguns ainda filmam os filhos dançando de maneira erótica e expõem as imagens na internet, incentivando-os a se tornarem adultos precocemente. A vigilância dos responsáveis pode ser o caminho para minimizar os exageros. “Os pais não devem deixar as crianças soltas, o perigo pode estar em casa! É preciso acompanhar as atividades dos pequenos e bloquear conteúdos impróprios”, ensina Jane Garcia.
Conectados
O livre acesso de crianças à internet é cada vez mais comum no Brasil. O problema é que, sem supervisão dos pais, a web pode se transformar em porta de entrada para conteúdos perigosos para os pequenos. Propaganda inadequada de produtos, bate-papo com estranhos e acesso a sites que promovem o ódio, a violência e a pornografia são alguns dos possíveis riscos.
Pesquisa do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) mostra que 53% das crianças e jovens de 9 a 16 anos usam a internet todo dia para entrar em redes sociais como o Facebook e o Twitter. O levantamento “Tic Kids Online Brasil 2012” ainda aponta que 66% acessam a web para assistir a vídeos, 54% para jogar games com outras pessoas e 54% para enviar mensagens instantâneas a amigos. Apenas 13% dos entrevistados usam a internet diariamente para fazer as atividades escolares.
Embora a maioria das redes sociais proíba a participação de menores de 14 anos, 42% das crianças entre 9 e 10 anos, 71% das de 11 e 12 anos e 80% dos adolescentes entre 13 e 14 anos possuem contas em redes sociais.
Dos participantes de 9 a 16 anos que utilizam redes sociais, 86% compartilham fotos que mostram seus rostos, 13% revelam seu endereço e 12% expõem o número de telefone. Desses, 22% passaram por alguma situação ofensiva na internet. Entretanto, apenas 6% dos pais acredita que os filhos tenham sofrido algum incômodo ou constrangimento. O estudo foi realizado pelo instituto Ipsos e ouviu 1,6 mil crianças e adolescentes entre 9 e 16 anos e 1,6 mil pais, entre abril e julho de 2012.

Bonecos do Juíz Iníquo e da viuvinha.


Especial aprender sobre a Dedicação na Oração.
Escolha um dos inúmeros jeitos de criar bonecos e aproveite.



Unidade 4 - Orar Sempre (Visuais)

 E nesta semana que vai entrar estaremos desenvolvendo 
este tema tão fundamental em nossas vidas.
Nossa Referência é Lucas 18.1-8
O Alvo da Lição é Ensinar às crianças que devemos 
ser perseverantes na oração e confiar que Deus cumprirá
Suas promessas em nossa vida.
E o versículo para Memorização é:
“Não abandoneis, portanto, a vossa confiança... 
Para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa” 
(Hebreus 10.35-36).

Querida Educadora sobre a Oração há muitas sugestões no Blog da EBI aproveite!

Encontre a História:

Unidade 4 - Orar Sempre (História)

Era uma vez, uma viúva que tinha um problema com um adversário. Ela sabia que precisava
resolver aquela situação o quanto antes. Sem marido para lhe ajudar, a mulher só teve uma opção: pedir ajuda ao juiz daquela cidade.
Porém, ela sabia que teria outro grande desafio para enfrentar, pois aquele juiz era muito mau. Os moradores da cidade o conheciam como um homem desonesto, que desprezava as pessoas e não respeitava ninguém, nem mesmo Deus. Entretanto, somente aquele juiz poderia julgar os processos e resolver as brigas entre as pessoas, e a viúva sabia disso. Mesmo sabendo da fama negativa do juiz, ela foi até ele, confiando que ele a ajudaria. Então, ela pediu que ele julgasse a sua causa contra o adversário, mas ele não a atendeu.
Amiguinhos, sabem qual foi a atitude da viúva? (Espere a participação deles).
Ela não desistiu e resolveu voltar no dia seguinte. Aquela mulher estava no direito dela, e por isso foi até o juiz pedir ajuda, pois ele era o juiz e deveria ajudá-la, não é mesmo?

A viúva percebeu que não seria atendida naquele dia, por isso voltou para casa mesmo sem resposta.
Será que ela desistiu? Não, nada disso! Ela pensou: “Amanhã voltarei e ele terá que me atender”.
Então, no outro dia, lá estava ela de novo pedindo ao juiz para a atender. E mais uma vez voltou para casa sem resposta. Mas ela não desistiu e continuou confiando que um dia seria atendida.
Quanto mais era desprezada, mais ela perseverava e confiava. Tanta insistência deixou o juiz muito aborrecido, e ele pensou que se não atendesse a viúva, ela então continuaria a incomodá-lo e, para que ela parasse de chateá-lo, então era melhor atendê-la.
Ah! Que grande alegria aquela viúva sentiu quando o juiz julgou a sua causa e deu-lhe a vitória.
Amiguinhos, Jesus contou a parábola do juiz iníquo, esta mesma história que vocês acabaram de ouvir.
Ele contou esta parábola para que todas as pessoas seguissem o exemplo de confiança e perseverança daquela viúva.
Encontre os Visuais:

As crianças também fazem

 Outra sugestão para a Aula de Sexta
É oferecer às crianças a oportunidade que elas mesmas Montem o Recurso Visual
e participem na montagem da lembrancinha ou do "Leva Versículo"
Evidente que esta é uma tarefa que elas vão amar, 
mas cuida para que a aula toda não seja isto!
Afinal a aula Consciente e que trás Frutos de Salvação tem:
- Oração
- Orientação,
- Pregação,
- Atividades e/ou Brincadeiras,
etc.
Para se equilibrar no tempo, verifique todos os materiais, adiante algo
que você sabe que os seus pequeninos demoraram muito para fazer, 
e ainda, se eles fizerem em grupo ou grupos, poderá ser mais rápido e produtivo!
Boa aula!

Cartaz Móvel

Que tal esta aula para hoje ainda?
Pois é Aula de Sexta é Especial
É um cartaz com nossa "viúva" e ali os vasos de azeite,
que são removíveis...
A criança poderá movimentar e ajudar a "encher" com azeite!
E se você precisar de uma imagem pintadinha...
Olha ela aqui:
 

Unidade 3 - Ajudando uma Viúva (Vídeo) Profeta Eliseu

Eis o desenho animado para servir como mais uma ferramenta 
Educadoras estes videos tem por objetivo auxilia-las durante as pregações,
mas não substitui as orientações, ou mesmo os recursos visuais para contar a historia.
E além deste vídeo encontre mais...  

Trazem a Lembrança da História em Letra Imprensa

 Lembrancinhas com Versículo sempre
dão à criança a oportunidade de não se esquecer do que foi ensinado.
Por exemplo nesta história foi mencionado jarros, logo fazer um jarrinho 
com um pirulito ou um que possa ser colocado uma guloseima,
fará com que a criança lembre da historinha.
E claro o versículo vai junto.
Queridas Educadoras sempre que escrever os Versículos procure usar
 Letra bastão ou de Forma
para que todas as crianças possam conseguir ler.
As letras manuscritas, chamada também "Letra de Mão" 
vai confundir as que ainda não estam totalmente alfabetizadas, 
e ainda, sabemos que nossas letras não são sempre iguais.
rsrs!
Uma educadora pode ter uma letra bem redondinha, e 
outra uma letra mais "puxadinha" para um um lado ou para o outro,
 enfim, para ajudar as crianças a reconhecerem direitinho as palavras usem sempre Letra de Forma ou Bastão, ou ainda se preferir: Letra Imprensa
Lembrem-se as crianças é que são àquelas a quem temos que atender.
E se o melhor para elas é que escrevamos em letras que lhe facilitem a Leitura...
Então é o que devemos fazer! 

Cenário para Ajudando uma Viúva


 Olhem só que gracinha um cenário para ajudar a contar a historinha desta semana.

Unidade 3 - Ajudando uma Viúva (História)

Unidade 3 - Ajudando uma Viúva (Visuais) Profeta Eliseu

 E para esta próxima Semana vamos estudar a palavra 
de Deus baseada na referência bíblica
2 Reis 4.1-7
E nosso alvo é:
Ensinar às crianças que os que confiam em Deus são abençoados.
 Versículo para Memorizar
2 Reis 4.1-7
Profeta Eliseu
“Ó Senhor Todo-Poderoso, como são felizes aqueles
que confiam em Ti!” (Salmos 84.12 NTLH).