Edificando - Jejum de Daniel - 11° Dia


Vocês sabiam que o entendimento de sacrifício começou lá no Jardim do Éden? Bem antigo não é mesmo? Deus precisou sacrificar um animal para com sua pele fazer roupas e cobrir a nudez de Adão e Eva. Depois que eles pecaram, perceberam que estavam sem roupa e o diabo sugeriu para eles se vestirem com folhas de figueira. Que grande engano! Não havia sacrifício algum em tirar umas folhas da árvore e se vestir. O diabo quis enganá-los fazendo pensar que não era preciso fazer nenhum esforço para se vestir.

Assim como não havia outra maneira de salvar a humanidade sem o sacrifício que Jesus Fez na cruz do Calvário, Deus não viu outra maneira de cobrir a nudez de Adão e Eva sem matar um animal, caso contrário ele faria diferente.

Na verdade crianças, para se alcançar alguma coisa é preciso sacrificar. Para que você amanhã tenha uma boa profissão precisará estudar muito, e isso vai exigir um grande sacrifício da sua parte. Terá que acordar cedo, deixar de brincar para estudar, etc. Para ser um atleta ou jogador de sucesso é preciso treinar muito, deixar até mesmo de se divertir. Da mesma forma, para ter um encontro com Deus e receber o Espírito Santo é preciso sacrificar a própria vontade, ou seja, deixar de fazer o que quer e deseja para fazer a vontade de Deus. Jesus disse: “Pois quem põe os seus próprios interesses em primeiro lugar nunca terá a vida verdadeira; mas quem esquece a si mesmo por minha causa terá a vida verdadeira.” Mateus 16.25

Sabe crianças, o diabo não gosta do sacrifício, ele sempre quer fazer as pessoas pensarem que podem conseguir tudo fácil. Jesus falou: “Se alguém quer vir após Mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-Me.”Mateus 16.24. Com esse versículo Ele nos ensina três regrinhas básicas para aceita-Lo de todo coração como nosso Salvador: a 1ª é negar a si mesmo, que significa dizermos não a nossa própria vontade, a 2ª é tomar a cruz, ou seja, se esforçar para fazer a vontade de Deus e a 3ª segui-Lo. Todas as três regrinhas exigem muito sacrifício, mas nós que cremos estamos dispostos a cumpri-las não é mesmo?

0 comentários: